English version

Coordenações da FAPESP

Para cada grande área do conhecimento, a Diretoria Científica mantém uma comissão de reconhecidos especialistas com a responsabilidade de coordenar o processo de análise de mérito das solicitações submetidas à FAPESP. Essas comissões, as Coordenações de Área, são as seguintes: Ciências da Saúde, Biologia, Ciências Agrárias e Veterinárias, Engenharia, Física, Astronomia, Química, Geociências, Matemática e Computação, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Humanas e Sociais, e Inovação Tecnológica.

A composição das Coordenações de Área, número e nomes dos seus membros, responde a uma série de critérios tais como o perfil da demanda e a diversidade institucional. Os responsáveis pelas coordenações exercem uma função de confiança do Diretor Científico e como tal são escolhidos após amplo processo de consulta às lideranças acadêmicas de cada área. As Coordenações de Área se reúnem, tipicamente, uma vez por semana.

Ao ser recebida na FAPESP, cada solicitação é encaminhada à respectiva Coordenação de Área para identificação da assessoria ad hoc externa competente para a emissão de parecer de mérito circunstanciado. A escolha da Coordenação de Área competente para cada solicitação é determinada pelo tema do projeto de pesquisa, sendo irrelevante a afiliação institucional do solicitante ou a classificação genérica da área de conhecimento. No caso de projetos multidisciplinares, mais de uma Coordenação podem ser ouvidas.

A escolha da assessoria ad hoc é feita após uma análise do resumo do projeto e da afiliação institucional dos participantes, estando à disposição das Coordenações a lista de assessores da FAPESP no Estado, no País e no Exterior. Ao escolher a assessoria ad hoc para cada processo, a Coordenação procura identificar os melhores especialistas com competência específica na temática do projeto. Procura-se também evitar escolhas que gerem potencial conflito de interesse de qualquer natureza na análise do projeto.

O número de assessores ad hoc consultados para análise de um projeto depende do programa em que se insere – pelo menos três, nos Projetos Temáticos, pelo menos dois, nos Jovens Pesquisadores – e também do porte orçamentário da solicitação – projetos com orçamentos expressivos são enviados a, pelo menos, dois assessores, em qualquer programa regular ou especial.

Ao retornarem da assessoria ad hoc, os processos são encaminhados, novamente, às Coordenações de Área para análise dos pareceres. Cada parecer é uma peça complexa, em que o assessor ad hoc responde a vários quesitos relevantes para a decisão da FAPESP. Para cada linha de fomento, existe um conjunto de quesitos específicos a serem respondidos pela assessoria ad hoc. Essas questões estão nos formulários para parecer disponíveis no site da FAPESP.

Com base no conjunto de pareceres disponíveis, a Coordenação de Área submete à Diretoria Científica uma recomendação de decisão. Essa decisão pode ser de: aprovação, denegação, denegação na versão apresentada ou solicitação de informações adicionais. Tratando-se de solicitação de auxílio a pesquisa de qualquer natureza, o orçamento pode ser aprovado com ou sem cortes. A opção pela denegação na versão apresentada sugere ao interessado que a assessoria reconheceu méritos na solicitação e entende que uma versão modificada, levando em conta as críticas e recomendações constantes do parecer, pode vir a ser aprovada.

A recomendação de solicitar informações adicionais é tomada somente quando se reconhece, em princípio, que o esclarecimento satisfatório de dúvidas levantadas pela assessoria pode conduzir à aprovação da solicitação. No caso de solicitações de bolsas, face à acirrada competição por esses recursos, cabe às Coordenações de Área, com base nos pareceres da assessoria ad hoc e nos critérios de priorização específicos para cada tipo de bolsa, proceder à priorização das solicitações. Em qualquer caso, o processo é então encaminhado ao Quadro de Coordenações Adjuntas da Diretoria Científica.


Composição das coordenações: