Bolsas aumentam em número e valor

Bolsas aumentam em número e valor

Conselho Superior da FAPESP aprova proposta da Diretoria Científica de aumento nas cotas de bolsas concedidas e reajuste de 20% nos valores a partir de março

O Conselho Superior da FAPESP, em reunião de 8 de fevereiro, aprovou o aumento nas cotas de bolsas concedidas pela Fundação. Para as bolsas de Iniciação Científica (IC) a expansão nas concessões anuais será de 9%, para o Mestrado (MS) 48%, para o Doutorado (DR) 33% e para o Pós-doutorado (PD) 61%.

Foi aprovado também o reajuste de 20% no valor das bolsas em vigor a partir de fevereiro de 2006 e para os pagamentos a serem efetuados a partir de março. Os valores passam a ser: IC (R$ 396), MS 1 (R$ 1.164), MS 2 (R$ 1.236), DR 1 (R$ 1.716), DR 2 (R$ 2.124), DD 1 (R$ 1.164), DD 2 (R$ 1.236), DD 3 (R$ 1.716) e DD 4 (R$ 2.124).

O reajuste de 20% também será feito para as bolsas dos programas Jornalismo Científico, nos níveis JC 1, JC 2 e JC 3, e Ensino Público. Não houve alteração no valor da bolsa da modalidade PD, reajustada em maio de 2004.

As propostas da Diretoria Científica de aumento e reajuste foram preliminarmente aprovadas pelo Conselho Técnico-Administrativo (CTA) da FAPESP e posteriormente submetidas ao Conselho Superior da Fundação.

A ampliação das cotas foi calculada de acordo com a disponibilidade orçamentária da Fundação para 2006, estimando também os anos seguintes e respeitando a decisão do CS de destinar 33% do dispêndio total anual à concessão de bolsas.

“Esses aumentos no Programa de Bolsas fazem parte da política de estímulo à formação de pesquisadores no Estado de São Paulo e no Brasil e se fazem dentro do princípio de equilíbrio dos investimentos da FAPESP nos diversos programas que caracterizam as suas linhas de atuação”, diz Carlos Vogt, presidente da Fundação.

Enquanto em 2005 foram concedidas 2.164 bolsas de Iniciação Científica, em 2006 o número subirá para 2.364. Para Mestrado, o aumento será de 400, chegando a 1.238. A modalidade de Doutorado terá um aumento de 150 bolsas, somando 605, e a cota para 2006 de Pós-Doutorado será de 657, com crescimento de 250 bolsas.

A decisão significará um aumento significativo no total de bolsas vigentes anualmente, já que as modalidades MS, DR e PD têm um ciclo que varia de dois anos (MS) a quatro anos (DR e PD).

Segundo o diretor científico da FAPESP, Carlos Henrique de Brito Cruz, "o Programa de Bolsas é um dos mais importantes da Fundação. A formação de mais pessoal em nível de excelência e a expansão no número de pós-doutores em São Paulo são fundamentais para o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado".