FAPESP apoiará colaborações com universidades da Nova Zelândia

FAPESP apoiará colaborações com universidades da Nova Zelândia

Fundação e Universities New Zealand assinam acordo e preparam chamada conjunta de propostas de pesquisas (esp.p/dir.: Jairo Gutiérrez, Simone Godoi, Ana Azevedo, Julia Innocente-Jones, Frances Niuloa-Little, Jannine McCabe, Kris Bubendorfer e Carlos Henrique de Brito Cruz)

Dirigentes da Universities New Zealand (UNZ), entidade que representa as oito universidades públicas da Nova Zelândia – University of Auckland, University of Otago, Auckland University of Technology, University of Waikato, Massey University, Victoria University of Wellington, University of Canterbury e Lincoln University – estiveram na sede da FAPESP para discutir uma chamada conjunta de propostas de pesquisa, a ser lançada com base em um acordo de cooperação assinado em 12 de maio entre a FAPESP e a UNZ.

O acordo é o primeiro assinado pela FAPESP com instituições da Nova Zelândia e prevê apoio conjunto a pesquisas em todas as áreas do conhecimento, realizadas entre pesquisadores de instituições de ensino superior e de pesquisa no Estado de São Paulo (públicas e privadas) e das universidades públicas neozelandesas.

Juntas, as oito universidades representadas pela UNZ abrigam 132 mil alunos e contam com mais de 20 mil professores e pesquisadores, sendo responsáveis por um terço de toda a pesquisa produzida no país.

Estiveram presentes à reunião Jairo Gutiérrez, da Auckland University of Technology, Ana Azevedo, da UNZ, Julia Innocente-Jones, da Victoria University of Wellington, Frances Niuloa-Little, da Auckland University of Technology, Kris Bubendorfer, da Victoria University of Wellington, Jannine McCabe, da Embaixada da Nova Zelândia em Brasília, que se reuniram com Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP.

Válido por cinco anos, o acordo de cooperação científica e tecnológica servirá de base para a primeira chamada de propostas, que deverá ser lançada ainda em 2017. A cooperação se dará em temas de interesse comum e poderá elencar áreas prioritárias. Além de pesquisas, o acordo prevê apoio à organização de seminários, workshops, simpósios e reuniões científicas, incluindo aquelas com objetivo de identificar futuras áreas para cooperação.

O acordo de cooperação está disponível em www.fapesp.br/11014.