Museus e Centros Depositários

Acervo quadruplex da extinta TV Tupi

Processo
2009/54923-7
Pesquisador
Esther imperio Hamburger
Instituição
Escola de Comunicações e Artes – USP
Entidade
USP
Coordenador
CHS II
Área
Comunicação

O projeto tem como objetivo tratar uma parcela do acervo de fitas Quadruplex [2 polegadas] da extinta TV Tupi, que hoje integram o acervo da Cinemateca Brasileira. A proposta é selecionar uma amostra significativa de 100 horas de dramaturgia e proceder às ações de catalogação, documentação, preservação e digitalização do material para possibilitar o seu acesso pela rede mundial de computadores. São mais de 20 [vinte] títulos de novelas, tais como "Meu Rico Português", "O Direito de Nascer", "Beto Rockfeller", "Sheik de Ipanema", "Simplesmente Maria", com a participação de atores consagrados - Carlos Zara, Cleide Yaconis, Lélia Abramo, Eva Wilma, Guarnieri, Plínio Marcos, Luiz Gustavo, Riva Mimitz, Cláudio Correa e Castro e sob a direção de nomes como Silvio de Abreu, Walter Avancini, Antonio Abujamra e Lima Duarte, cuja contribuição para a construção da teledramartugia brasileira são inegáveis. O formato Quadruplex é o primeiro formato de fitas magnéticas de vídeo, utilizado pelas emissoras de televisão no mundo do início dos anos 50 até meados dos anos 70. Esse importante acervo precisa, o mais breve possível, ser transcrito para uma mídia atual que possibilite a sua preservação e, provavelmente, de intervenções de restauro para colocar o seu conteúdo à disposição de estudiosos, pesquisadores e público em geral. Cinemateca Brasileira em 2009 tratou parte do acervo jornalístico da TV Tupi [película 16 mm, P&B e seus roteiros [originais], tendo hoje mais de 6.000 reportagens, cerca de 130 horas, disponíveis em seu site. O presente projeto dará continuidade a um trabalho que posteriormente poderá ser ampliado com a totalidade do acervo Tupi e, possivelmente, até mesmo de outras emissoras de televisão que se interessem em disponibilizar ao público em geral e aos pesquisadores em particular seus acervos. Ressaltamos também que, graças a uma parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia, a Cinemateca passou a integrar Rede Nacional de Ensino e Pesquisa, interligando-se por fibra óptica aos demais integrantes nacionais da rede e conectando-se às redes internacionais de pesquisa.