Um dos desafios atuais para o progresso do conhecimento é a complexidade dos problemas abordados, o que exige, em muitos casos, prazos mais extensos do que os 2 a 5 anos de financiamento oferecidos tradicionalmente pela FAPESP em Auxílios à Pesquisa Regulares, em Projetos Temáticos, ou nos projetos de pesquisa tradicionalmente apoiados no Programa FAPESP de Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE).

Financiamento de longo prazo e, em muitos casos, abordagens interdisciplinares, permitem o tratamento bem-sucedido de problemas complexos. Por essa razão, a FAPESP criou seu Programa Especial CEPID (Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão) que apoia projetos de pesquisa de longa duração. Ao mesmo tempo em que lidar com esses desafios requer abordagens ousadas, muitas vezes a identificação dos problemas requer a associação com empresas ou entidades do governo que estão diretamente ligados à sociedade.

O Programa FAPESP de Centros de Pesquisa em Engenharia usa o modelo bem-sucedido do Programa Especial CEPID (Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão) e o associa ao PITE, no qual há uma empresa parceira co-financiadora da pesquisa, fortemente motivada para participar da definição dos temas focais a serem investigados, participar ativamente dos projetos de pesquisa, e para usar os resultados obtidos com o centro.

A característica mais importante do plano de ação de um Centro de Pesquisa em Engenharia é sua multiplicidade de missões. Na base de suas atividades, a missão principal é executar projetos de pesquisa complexos, na fronteira do conhecimento, orientados a problemas e à busca de resultados bem definidos, que colaborem para a formação de um centro de pesquisa de classe mundial durante sua existência. Adicionalmente, o plano do Centro deve desenvolver, a partir do núcleo de pesquisa internacionalmente competitiva, meios efetivos de transferência de tecnologia, educação e disseminação do conhecimento.

A complexidade da execução do plano de pesquisa de um Centro de Pesquisa em Engenharia requer financiamento de longo prazo e autonomia no uso de recursos. Esta exigência torna imperativo uma forte conexão institucional com o parceiro co-financiador e meios adequados para um rigoroso acompanhamento de suas atividades.

Em resumo, um Centro de Pesquisa em Engenharia apoiado pela FAPESP deve demonstrar:

a) Pesquisa de classe internacional na fronteira do conhecimento, fundamental ou orientada para aplicações, em ambos os casos buscando explorar ativamente as oportunidades de contribuir à resolução de problemas e à busca de resultados bem definidos, com potencial evidenciado para criar o impacto social e para a inovação tecnológica;

b) Transferência de conhecimento para a Empresa parceira e a sociedade, incluindo-se aí o setor empresarial, o setor não-governamental e/ou o setor público. Alguns exemplos de realizações valorizadas neste objetivo são:

b.1.Realização de projetos em parceria com empresas ou órgãos, governamentais ou não, responsáveis por políticas públicas. Esses projetos poderão beneficiar-se dos programas Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE) ou de Pesquisas sobre Políticas Públicas da FAPESP (PPP).

b.2.Formação de pequenas empresas que incorporem resultados de pesquisas desenvolvidas pelo Centro a seus produtos ou serviços. Essas pequenas empresas poderão beneficiar-se do Programa de Inovação em Pequenas Empresas (PIPE) da FAPESP.

c) Interação com o sistema educacional, especialmente nos níveis fundamental e médio, por exemplo, usando o Programa de Melhoria do Ensino Público da FAPESP.

A premissa que fundamenta e orienta um projeto como o Centro de Pesquisa em Engenharia é a realização de pesquisa competitiva internacionalmente segundo os melhores referenciais mundiais de excelência . Desta atividade de pesquisa derivam os demais objetivos acima listados.

Composição da equipe de pesquisadores do Centro de Pesquisa em Engenharia

Fator determinante para o sucesso de um Centro é a existência de uma equipe com composição balanceada entre Pesquisadores Principais, Pesquisadores Associados, Pesquisadores Visitantes, Pós-doutores, estudantes de pós-graduação e de graduação e pessoal técnico de apoio, apoiada por serviços administrativos e de gestão de excelente qualidade, que deverão ser garantidos pela(s) instituição(ões) que sedia(m) o Centro.

Além da excelência em classe mundial, a existência de um Centro de Pesquisa em Engenharia deve ser justificada por todas e cada uma das seguintes razões:

a) A complexidade dos problemas a serem pesquisados que, em muitos casos (mas talvez não em todos), pode requerer uma abordagem multidisciplinar;

b) A escala e a duração das atividades de pesquisa a serem realizadas;

c) A necessidade de interação contínua entre os membros da equipe para a consecução dos objetivos científicos ou tecnológicos, de transferência de conhecimento e de difusão.

As dimensões, a estrutura e forma de operação do Centro deverão ser determinadas em função das atividades de pesquisa, difusão e transferência de conhecimento a serem executadas. Em particular, o Centro deverá ser operado por uma Instituição Sede. A associação com outras instituições do Estado de São Paulo será considerada como fator de valorização da proposta, podendo ser essencial para fazer a proposta mais robusta.

A exigência de um foco científico/tecnológico comum, articulador das atividades de pesquisa a serem desenvolvidas, é mandatória. Espera-se que o Centro tenha uma Missão bem definida e uma Visão de como realizá-la. Não se trata de um programa para apoio institucional e, por isso, divisões, departamentos, unidades e instituições de pesquisa não serão apoiados enquanto tais. O financiamento das atividades do Centro será por longo prazo, limitado a 10 anos, com avaliações, e suas eventuais consequências, ao longo deste período. Os recursos alocados poderão ser utilizados com grande grau de autonomia; em contrapartida, a FAPESP e a empresa parceira observarão um acompanhamento permanente, com avaliações periódicas das atividades do Centro.

Cada Centro de Pesquisa em Engenharia deve ser dirigido por um Comitê Executivo (CE), composto pelo Diretor (Pesquisador Responsável pela proposta perante a FAPESP), Vice-Diretor (Pesquisador Principal indicado pela empresa parceira e que deverá ser vinculado à Instituição Sede como Pesquisador Visitante), pelo Coordenador de Educação e Difusão de Conhecimento e pelo Coordenador de Transferência de Tecnologia. O CE deve ser auxiliado por gestores, profissionais a serem contratados pela Instituição Sede que devem realizar e supervisionar todas as tarefas de gestão e administrativas necessárias ao funcionamento do Centro.

Benefícios esperados dos Centros de Pesquisa em Engenharia

Os Centros de Pesquisa em Engenharia contribuem para que o ambiente de pesquisa nas universidades e/o institutos de pesquisa se torne mais abrangente e mais conectado com a sociedade, ajudando a formar melhor os estudantes de graduação e de pós-graduação, além de trazer novos temas de pesquisa avançada.

Para as empresas, a parceria com universidades cria uma interação contínua que estimula a abertura de novos desafios e o contato com a fronteira do conhecimento.

Para o Estado de São Paulo, os acordos entre a FAPESP e as empresas parceiras no programa Centros de Pesquisa em Engenharia resultam em mais desenvolvimento científico e tecnológico, impulsionando a competitividade das empresas e reforçando a criação no Estado de um ambiente estimulante à inovação tecnológica.

Na fase atual os CPEs são selecionados mediante chamadas públicas acordadas pela FAPESP e pelas empresas associadas. Excepcionalmente podem ser recebidas consultas de dirigentes universitários apresentando oportunidades especiais para CPEs que se encaixem na descrição acima. As consultas serão analisadas e a decisão sobre receber ou não uma proposta completa será comunicada ao dirigente.