Seminário Produtividade Agrícola Sustentável - Palestrantes

 

Prof. Dr. Fernando Dini Andreote

Tem 34 anos, é agrônomo e doutor em Genética e Melhoramento de Plantas, pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Estagiou no Plant Research International, na Holanda, entre 2006 e 2007 e de 2008 a 2010 realizou pós-doutorado na EMBRAPA – Meio Ambiente, com bolsa da FAPESP. Apesar da pouca idade, o pesquisador possui ampla experiência em microbiologia ambiental na área agrícola, com mais de 60 trabalhos publicados. O tema a que se dedica é de extrema importância e surge como uma grande possibilidade de descrição de novos processos e interações que podem levar a agricultura a um novo patamar de sustentabilidade. Constam em seu currículo, diversos trabalhos com microorganismos que colonizam as plantas, desempenhando papéis essenciais e auxiliando as mesmas em seu desenvolvimento ou as protegendo de pragas e doenças. Em sua tese de doutorado, que gerou sete artigos científicos, combinou metodologias de análises moleculares com análises estatísticas para ranquear os principais fatores ambientais que modulam a interação de grupos microbianos com as plantas. Fernando é professor doutor em Microbiologia do Solo na ESALQ, onde coordena o Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Agrícola. Orientou 10 dissertações de mestrado e duas teses de doutorado. Recebeu o prêmio “Melhor Trabalho na Área de Microbiologia Ambiental” da Sociedade Brasileira de Microbiologia, em 2011.


 

Prof. Dr. Hiroshi Noda

Nasceu na cidade de Pompéia, em São Paulo, em 1943. É graduado em Engenharia Agronômica pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ) e em Filosofia, pela Universidade Católica de Santos. Fez mestrado e doutorado em Genética e Melhoramento de Plantas na ESALQ. É reconhecido nacional e internacionalmente por sua atuação nas áreas de melhoramento genético de hortaliças para cultivo no Trópico Úmido; conservação e melhoramento genético de recursos vegetais nativos da Amazônia; agricultura familiar e tradicional e segurança alimentar no meio rural. São cerca de 50 trabalhos científicos veiculados em periódicos de destaque, 62 capítulos de livros, 10 livros e inúmeras participações em conferências nacionais e internacionais. Suas pesquisas renderam ainda diferentes variedades de hortaliças, dentre as quais tomate, pimentão, melão, feijão macuco e feijão-de-asa. Hiroshi foi coordenador do Núcleo de Estudos Rurais e Urbanos da Amazônia (NERUA), e pesquisador do Núcleo de Etnoecologia na Amazônia brasileira (NETNO), pertencente à Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Amazonas. Contribuiu com a capacitação de pessoal, com orientações de mestrado e doutorado, além de orientações de estudantes de iniciação cientifica. É pesquisador titular aposentado do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) e tem colaborado com a socialização e transferência de tecnologia para os povos ribeirinhos da Amazônia, bem como com discussões acerca do desenvolvimento regional. Recebeu diversas homenagens por sua atuação, com destaque para a menção honrosa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) e honra ao mérito da Sociedade Brasileira de Olericultura.