Orientações referentes ao acordo de cooperação firmado entre os RCUK (Conselhos de Pesquisa do Reino Unido) e a FAPESP

SEÇÃO 1 – ORIENTAÇÃO GERAL

Histórico

1. Os Conselhos de Pesquisa do Reino Unido (RCUK) e a FAPESP são responsáveis pelo fomento e apoio à pesquisa acadêmica nas comunidades científicas de seu país e Estado, respectivamente, sendo os RCUK uma parceria estratégica entre os sete Conselhos de Pesquisa do Reino Unido (aqui referidos como os RCs). Os RCUK e a FAPESP reconhecem que a excelência em pesquisa pode ser alcançada pela colaboração internacional entre os melhores pesquisadores.

2. Com essa finalidade, a FAPESP e os RCUK assinaram um Acordo de Cooperação (Memorandum of Understanding), para acolher, estimular e apoiar propostas conjuntas de pesquisa que ultrapassem fronteiras nacionais e envolvam equipes internacionais trabalhando em cooperação.

3. O Acordo de Cooperação dispõe que os RCUK, em nome de ambas as instituições, receberão propostas conjuntas de proponentes elegíveis de ambos os países e conduzirão o processo de análise de mérito. Assessores ad hoc indicados pela FAPESP participarão de todo o processo de deliberação e avaliação por pares.

4. Os pareceres emitidos pelos especialistas indicados pela FAPESP serão formalmente incluídos no processo de avaliação por pares dos RCUK. Os processos de seleção, como um todo, continuam sendo atribuição do RC pertinente. A FAPESP concorda, em princípio, em aceitar os resultados do processo de avaliação por pares e financiar o componente paulista das propostas aprovadas, de acordo com seus atuais processos e procedimentos de financiamento.

5. Em virtude das respectivas diferenças nas formas de financiamento e nos procedimentos, cada RC adotará inicialmente abordagens diversas para implementar este Acordo. Os detalhes sobre as modalidades oferecidas aos proponentes podem ser encontrados na Seção 2. Os RCUK estão comprometidos com o Acordo e cada RC revisará periodicamente sua implementação, com o intuito de racionalizá-lo e harmonizá-lo tanto quanto possível.

6. A FAPESP e os RCUK acordaram que o Acordo de Cooperação se aplicará, principalmente, às modalidades de financiamento em fluxo contínuo. Entretanto, nos termos deste Acordo, é também intenção da FAPESP cofinanciar propostas submetidas em resposta a chamadas temáticas ou a programas específicos dos RCUK. Quando for esse o caso, haverá acordo prévio de ambas as agências de fomento, que será claramente anunciado nas chamadas de propostas e nas orientações associadas a elas.

7. É importante observar que este Acordo não representa uma linha de fomento separada, mas, sim, a possibilidade de submissão de propostas paulistas/britânicas conjuntas a processos competitivos já existentes nos RCUK. 

Elegibilidade das Propostas

8. São bem-vindas propostas em qualquer área uni- ou multidisciplinar que se enquadre no escopo da FAPESP e de um ou mais dos RCs. Detalhes sobre as áreas de atuação dos RCs podem ser encontrados aqui. Detalhes das modalidades de financiamento às quais os proponentes podem se candidatar podem ser encontrados na Seção 2, abaixo; essas modalidades podem ser tanto espontâneas (cobrindo todas as áreas de atuação dos RCs) quanto em resposta a chamadas.

9. Propostas interdisciplinares e transdisciplinares que abranjam a área de atuação de mais de um dos RCs serão processadas segundo o acordo de financiamento entre os Conselhos; para mais detalhes, clique aqui.

10. Propostas podem ser submetidas por qualquer instituição apta a receber financiamento dos RCUK. Informações sobre a elegibilidade para financiamento pelos RCUK podem ser encontradas aqui ou nas orientações pertinentes às modalidades de cada Conselho de Pesquisa.

11. Parceiros paulistas (que estejam solicitando financiamento à FAPESP) devem estar vinculados a instituições de ensino superior ou de pesquisa, públicas ou sem fins lucrativos, do Estado de São Paulo. Os proponentes devem observar que, ao contrário dos RCUK, a FAPESP não concede auxílio a instituições, mas diretamente aos pesquisadores. Antes de enviar uma solicitação, os candidatos devem entrar em contato com a FAPESP para confirmar sua elegibilidade. Para os candidatos elegíveis, a FAPESP fornecerá uma carta confirmando a elegibilidade, que deverá ser anexada pelo pesquisador britânico ao pedido de financiamento conjunto ao RCUK.

Submissão de propostas

12. Os RCUK aceitarão propostas submetidas por meio da plataforma Joint Electronic Submission System (Je-S), que tem formato comum para os RCs. No entanto, há algumas diferenças entre os RCs e os proponentes devem se certificar de que estão seguindo as orientações e exigências do RC que abarca sua pesquisa.

13. O Conselho de Pesquisa Médica do Reino Unido (Medical Research Council – MRC) atualmente não utiliza o sistema Je-S. Orientações para submissão de propostas ao MRC são fornecidas na Seção 2. 

Orçamento das propostas

14. O orçamento do pesquisador britânico deve ser apresentado preenchendo-se os campos relevantes do formulário Je-S (exceto nas propostas ao MRC). O orçamento apresentado à FAPESP por pesquisadores paulistas não deve ser incluído nesses campos (ver abaixo item 16).

15. Todos os orçamentos apresentados aos RCUK devem atender a todas as exigências das Regras de Financiamento de Pesquisa habituais.

16. Os proponentes paulistas devem incluir na proposta apresentada ao RC pertinente os seguintes documentos:

a) Formulário FAPESP com os dados gerais da proposta;

b) Planilha de orçamento consolidado referente aos itens sendo solicitados à FAPESP;

c) Documentação adicional, necessária para a análise da proposta, pode vir a ser solicitada ao Pesquisador Responsável paulista.

Os documentos listados nos itens a e b devem ser anexados ao formulário Je-S pelo pesquisador britânico, quando da submissão da proposta ao RC pertinente.

17. Os orçamentos referentes ao financiamento do grupo paulista devem atender a todas as exigências das regras e procedimentos da FAPESP para auxílios à pesquisa. Em termos gerais, os orçamentos apresentados à FAPESP podem incluir, conforme a modalidade de auxílio disponibilizada:

a) Equipamento e material permanente (adquiridos no Brasil ou importados);

b) Material de consumo e suprimentos (adquiridos no Brasil ou importados);

c) Serviços de terceiros (nacionais ou estrangeiros);

d) Despesas de transporte e diárias para atividades diretamente relacionadas ao desenvolvimento da pesquisa proposta, incluindo a cobertura de despesas de pesquisadores visitantes;

e) Bolsas de estudos: bolsas de pesquisa de pós-graduação (pós-doutorado, doutorado-direto) e graduação (iniciação científica), e bolsas de treinamento técnico.

18. Salários de qualquer natureza, serviços de terceiros que não aqueles de natureza técnica e ocasional, obras civis, aquisição de publicações, viagens (exceto para pesquisa de campo, apresentações em conferências científicas e a vinda de pesquisadores visitantes) e materiais ou serviços administrativos de qualquer espécie não são financiáveis pela FAPESP. 

Tramitação das propostas

19. As propostas serão submetidas ao RC apropriado. O RC conduzirá a tramitação e a análise da proposta em nome de ambas as instituições. Ao submeter uma proposta, todos os proponentes e indivíduos mencionados na proposta concordam que qualquer informação pessoal constante naquela proposta possa ser compartilhada por funcionários da FAPESP e dos RCUK e pelos especialistas indicados por ambas as partes. A FAPESP concorda em tratar tais informações confidencialmente e de acordo com as UK Data Protection Rules e com a lei brasileira n. 9.279/96, bem como de acordo com qualquer outra legislação aplicável à proteção de direitos de propriedade intelectual.

20. Ao receber a proposta, o RC encaminhará uma cópia da documentação recebida à FAPESP, para verificação da elegibilidade da proposta, confirmação da disponibilidade de recursos, caso a proposta venha a ser recomendada para financiamento, e para indicação de assessores ad hoc. Essa cópia será enviada à FAPESP num prazo de duas semanas, a contar do recebimento da proposta. A FAPESP terá, então, mais duas semanas para a verificação da elegibilidade e o encaminhamento das referências dos assessores ad hoc indicados para a análise da proposta.

21. Completados esses procedimentos, os proponentes britânicos serão informados se a proposta foi aceita para análise. O RC em questão contatará os assessores ad hoc (dos quais pelo menos um deve ser indicado pela FAPESP), de acordo com as regras e procedimentos habituais. Adianta-se que as análise serão realizadas por, no mínimo, três assessores ad hoc, a menos que a modalidade de financiamento envolva outro tipo de processo de análise.

22. Feitas a avaliação por pares, as propostas serão submetidas ao comitê consultivo/deliberativo do referido RC.

a) Com antecedência razoável em relação à reunião do comitê do RC em questão, as propostas serão enviadas à FAPESP e um representante da FAPESP será convidado a participar do processo deliberativo por correspondência ou em pessoa, dependendo da natureza da modalidade de financiamento e do número, do valor e da avaliação das propostas recebidas nos termos do Acordo de Cooperação em questão. 

Critérios de Avaliação

23. Os RCUK financiam pesquisas selecionadas em base competitiva, com o emprego da análise por pares. Esse sistema é considerado referência internacional de excelência em financiamento de pesquisas e garante a qualidade da pesquisa no Reino Unido.

24. Os critérios efetivos de avaliação dependerão do(s) respectivo(s) RC(s) e da modalidade de financiamento a que foi submetida a proposta. Geralmente, esses critérios estão pormenorizados nas orientações ao proponente da modalidade relevante. 

Anúncio de Decisões/Concessão de Auxílios

25. O RC pertinente notificará a FAPESP assim que uma decisão for tomada. A FAPESP, então, confirmará o financiamento e acordará com o RC as datas de início da concessão. Nos termos deste Acordo, a FAPESP concorda, em princípio, em aceitar os resultados do processo de avaliação por pares conforme apresentados pelo RC em questão.

26. Assim que o RC obtiver a confirmação da FAPESP, enviará uma carta informando a decisão ao proponente britânico em nome de ambas as instituições. Uma cópia dessa carta será enviada à FAPESP. Essa carta confirmará a data de início proposta e estabelecerá que a FAPESP entre em contato com o parceiro paulista para informar a concessão ao componente paulista do projeto.

27. O RC outorgará o financiamento à instituição do proponente britânico, de acordo com os processos e procedimentos habituais. 

Gestão de acompanhamento do auxílio

28. Os outorgados devem contatar tanto a FAPESP quanto o RC que concedeu o financiamento em caso de quaisquer mudanças em quaisquer das afiliações institucionais dos beneficiários ou em alterações nos outros aspectos do auxílio durante sua vigência. Caso necessário, o RC que concedeu o auxílio e a FAPESP poderão se consultar antes de concordar com qualquer alteração no status do auxílio. Essas ocorrências serão, em geral, tratadas caso a caso.

Relatórios de progresso e relatório final

29. Quando forem exigidos pelo RC e/ou pela FAPESP, os relatórios serão submetidos de acordo com os procedimentos habituais dessas instituições. Os relatórios exigidos abrangerão o desenvolvimento de todo o projeto (e não apenas da parte paulista ou britânica), conterão uma seção específica que descreva e comente a eficácia da cooperação internacional e serão detalhados nas orientações dos RC e da FAPESP aos proponentes. 

Propriedade intelectual

30. É responsabilidade da Instituição de Pesquisa e de todos os envolvidos na pesquisa envidar todos os esforços razoáveis para assegurar que os resultados obtidos no curso da pesquisa, patenteáveis ou não, sejam utilizados em benefício da sociedade. Os resultados de pesquisa devem ser divulgados tanto para a comunidade científica quanto para o público em geral - por exemplo, potenciais usuários e beneficiários da pesquisa.

31. A menos que expresso de outra maneira, os direitos de propriedade intelectual e a responsabilidade por sua exploração pertencem à instituição que os gerou. Nos casos em que o auxílio à pesquisa estiver associado a mais de uma instituição e/ou a outros parceiros de projeto, espera-se que as bases da colaboração entre instituições, incluindo a propriedade intelectual e os direitos de exploração, sejam estabelecidas em um acordo formal. É responsabilidade da Instituição de Pesquisa estabelecer tal acordo antes do início da pesquisa. Os termos dos acordos de colaboração não devem divergir dos termos e condições da FAPESP e dos RCUK.

32. Os arranjos de colaboração e/ou exploração não devem impedir o avanço futuro da pesquisa nem a divulgação dos resultados de pesquisa de acordo com os costumes e práticas acadêmicas. Um atraso temporário na publicação é aceitável, a fim de permitir o estabelecimento de arranjos comerciais e de colaboração.

33. Os RCUK e a FAPESP poderão, em casos específicos, reservar-se o direito de reter a propriedade intelectual (ou designá-la a um terceiro por meio de acordo de exploração) e providenciar que ela seja explorada em benefício nacional e da Instituição de Pesquisa envolvida. Esse direito, caso exercido, será estipulado como condição adicional do auxílio.

34. Nos casos em que a exploração da pesquisa gerar renda, deverá haver reconhecimento e rendimento apropriados para a Instituição de Pesquisa, os indivíduos e a agência de fomento.

O Outorgado deverá, sujeito aos procedimentos determinados pela Instituição de Pesquisa, publicar os resultados da pesquisa de acordo com as práticas acadêmicas habituais. As publicações e outras formas de comunicação, incluindo apresentações na mídia, press releases e entrevistas coletivas/conferências, devem conter agradecimento pelo apoio recebido dos RCUK e da FAPESP, citando o número de referência do auxílio onde apropriado.

35. A Instituição de Pesquisa deve assegurar que todos aqueles associados à pesquisa estejam cientes desses arranjos e os aceitem. 

Contatos para informações gerais

36. No Reino Unido, informações gerais a respeito deste Acordo de Cooperação devem ser solicitadas a:

Sarah Verth, Gerente Internacional de Política dos Conselhos de Pesquisa do Reino Unido (Policy Manager International, RCUK)
Tel: +44 (0)1793 444338
E-mail:sarah.verth@rcuk.ac.uk

37. Informações a respeito da implementação deste acordo em cada um dos RC devem ser solicitadas aos contatos mencionados na Seção 2.

38. Solicitações de informação à FAPESP devem ser dirigidas a:

Bruna A. Musa
Email: rcuk_agreement@fapesp.br

 

SEÇÃO 2 – CONSELHOS 

Artes e Humanidades: Arts and Humanities Research Council (AHRC)
www.ahrc.ac.uk

Equipes transnacionais (pesquisadores britânicos e paulistas) são convidadas a submeter propostas diretamente ao AHRC, na modalidade Research Grants.

A equipe de pesquisadores deve preparar uma proposta única, que deve ser submetida eletronicamente pela Instituição de Pesquisa do Pesquisador Responsável Britânico, na modalidade AHRC Research Grant, por meio do sistema de submissão eletrônica Je-S.

O Guia de Propostas de Pesquisa do AHRC (AHRC Research Funding Guide ) fornece uma visão geral da modalidade Research Grant, com detalhes dos critérios de elegibilidade, informações sobre a submissão de propostas e os termos e condições dos auxílios. Além da orientação geral do Guia de Propostas, as seguintes normas se aplicam:

Elegibilidade do componente britânico do projeto
Pesquisador

Reino Unido: O Pesquisador Responsável Britânico deve atender aos critérios vigentes de elegibilidade para propostas regulares da modalidade AHRC Research Grant. Consulte o Guia de Propostas de Pesquisa do AHRC para mais informações sobre elegibilidade.

Brasil: Apenas pesquisadores formalmente associados a instituições do Estado de São Paulo têm o direito de atuar como pesquisador brasileiro nos termos deste Acordo. Para detalhes das instituições elegíveis, contate a FAPESP.

Pesquisadores brasileiros vinculados a instituições de fora do Estado de não podem submeter propostas nos termos deste Acordo.

Assistentes de Pesquisa

Assistentes de Pesquisa empregados pela instituição britânica devem cumprir o requisito do AHRC de estar na categoria de pós-doutores (como detentores de título de doutorado ou com experiência de pesquisa equivalente).

Bolsas de estudo vinculadas ao projeto

Reino Unido: Podem ser solicitadas uma ou duas bolsas de estudos de tempo integral (três anos) para projetos de doutorado, cujo trabalho contribua para o projeto como um todo. Os estudantes de Doutorado do projeto devem ser orientados por um Pesquisador Responsável indicado na proposta. O orientador deve trabalhar na Instituição de Ensino Superior onde o estudante do projeto estiver registrado.

A duração da bolsa deve de dar dentro do período de vigência do projeto. Não é possível solicitar financiamento para completar um doutorado já iniciado ou cujo início se dará antes da data de início do auxílio.

Toda bolsa deve agregar valor ao projeto, mas também conceder ao estudante independência suficiente para dar sua própria contribuição original ao projeto. A proposta de pesquisa deve ser viável sem a contribuição do estudante (isto é, o projeto não pode utilizar o estudante de doutorado como assistente de pesquisa de facto), mas o(s) estudante(s) deve(m) se beneficiar do trabalho desenvolvido dentro da estrutura do Projeto como um todo. As bolsas solicitadas no projeto poderão, segundo recomendação dos assessores ad hoc, ser excluídas de uma proposta antes que o financiamento seja concedido.

Para se candidatar, o estudante deve preencher certas condições relacionadas a residência e qualificações acadêmicas. Para informações detalhadas, consulte o AHRC Postgraduate Studentships: Guide to Student Eligibility.

Em caso de dúvidas sobre elegibilidade, contate o AHRC.

Brasil: A FAPESP estimula a solicitação de bolsas de doutorado direto no âmbito do projeto. Para mais informações, contate a FAPESP. 

Como submeter propostas

Caso os proponentes concluam que o AHRC é o Conselho de Pesquisa do Reino Unido mais adequado ao seu projeto, uma única proposta consolidada deve ser submetida, de acordo com os procedimentos e processos adotados na modalidade Research Grants do AHRC. A equipe de pesquisadores deve preparar uma única proposta, que deve ser submetida eletronicamente pela Instituição de Pesquisa do Pesquisador Britânico Responsável na modalidade AHRC Research Grant por meio do Joint Electronic Submission (Je-S) System.

Proposta de Pesquisa e Justificativa de Recursos: A proposta de pesquisa e a justificativa dos recursos solicitados devem descrever todos os elementos do projeto e apresentar justificativa para todos os recursos que estão sendo solicitados.

Idioma da proposta: As propostas devem ser escritas em inglês.

Como identificar a proposta submetida nesta modalidade: Cada proposta submetida deve ser claramente identificada como proposta conjunta na modalidade de financiamento bilateral AHRC/FAPESP, com essa indicação no campo do título do projeto. O texto “AHRC-FAPESP MoU” deve preceder o título do projeto.

Como identificar os dados do pesquisador paulista envolvido: O proponente deverá preencher a seção “Parceiro do Projeto” (Project Partner) do formulário com os detalhes referentes ao parceiro paulista. Sob o “Nome da Instituição Parceira” (Name of Partner Organisation), deve ser informado o nome da instituição paulista.

No campo “Nome do Contato” (Name of Contact), devem ser incluídos os dados do pesquisador paulista.

Orçamento

O proponente britânico deverá detalhar o componente britânico (os custos em que incorrerão as Instituições de Pesquisa do Reino Unido) do orçamento, na seção apropriada do formulário, de acordo com as normas de financiamento do AHRC. O proponente deve discriminar os custos da parte paulista em um anexo à proposta. A discriminação do orçamento da parte paulista (os custos em que incorrerão as instituições paulistas) deve ser anexada à proposta por meio do anexo “Componentes Não-Britânicos” (“Non-UK Components”). A seguinte planilha de orçamento da FAPESP deve ser usada nessa seção: Planilha de Orçamento Consolidado.

Além disso, o proponente britânico deverá anexar a Carta de Apoio (Letter of Support) da instituição paulista que autoriza a participação do parceiro paulista. A carta deve ser anexada à proposta usando o anexo “Letter of Support”.

Como é analisada a proposta

De acordo com as práticas correntes do AHRC, a avaliação da proposta é um processo de duas etapas: pareceres escritos emitidos por assessores ad hoc, seguidos por comitês de avaliação por pares.

Todas as propostas submetidas ao AHRC serão avaliadas por assessores ad hoc selecionados pelo AHRC.

Além disso, para cada proposta, a FAPESP indicará pelo menos um assessor ad hoc para emitir um parecer escrito. Os assessores ad hoc utilizarão os critérios e procedimentos aplicáveis ao AHRC.

Esses comentários serão formalmente incorporados aos processos de avaliação por pares do AHRC. Para a segunda etapa, a FAPESP indicará um assessor para participar do comitê de avaliação por pares; o assessor indicado deverá ser membro do AHRC Peer Review College.

Proponentes devem estar cientes de que isso exigirá que as propostas sejam processadas por funcionários tanto do AHRC como da FAPESP. Proponentes devem apresentar consentimento por escrito para o processamento conjunto das propostas pelo AHRC e pela FAPESP no final da proposta, sob o título “Consentimento para Processamento Conjunto” (Consent to Joint Processing).

Para informações referentes à implementação deste Acordo pelo AHRC, contate:

Pippa Craggs: P.Craggs@ahrc.ac.uk
 

Biotecnologia e Ciências Biológicas: Biotechnological and Biological Sciences Research Council (BBSRC)
www.bbsrc.ac.uk

O BBSRC já aceita propostas nos termos deste Acordo. Para mais detalhes sobre as modalidades de financiamento do BBSRC, clique aqui.

ANTES de submeter propostas nos termos deste Acordo, os proponentes devem contatar o BBSRC, a fim de verificar sua elegibilidade e a forma de submissão da proposta nos termos deste Acordo.

Para informações sobre a implementação deste Acordo pelo BBSRC, contate a Seção Internacional do BBSRC (BBSRC International Section): iru@bbsrc.ac.uk.

Para as propostas submetidas, os assessores ad hoc indicados pela FAPESP serão contatados pelo BBSRC, como parte do processo regular de avaliação por pares.
 

Engenharia e Ciências Exatas: Engineering and Physical Sciences Research Council (EPSRC)
www.epsrc.ac.uk 

O EPSRC, no momento, não está aberto a propostas no âmbito deste Acordo.

Para informações sobre a implementação deste Acordo pelo EPSRC, entre em contato com a Seção Internacional do EPSRC (EPSRC International Section):

Edward Clarke
E-mail: edward.clarke@epsrc.ac.uk ou telefone: +44 (0)1793 444438

Hannah Foreman
E-mail: hannah.foreman@epsrc.ac.uk ou telefone: +44 (0)1793 444428
 

Economia e Pesquisa Social: Economic and Social Research Council (ESRC)
www.esrc.ac.uk

O ESRC aceita propostas, nos termos deste Acordo, para a modalidade Research Grant.

Para projetos que requeiram financiamento de mais de £100.000,00 (custos do ESRC mais custos da FAPESP), as propostas serão consideradas nos termos da modalidade Standard Research Grants. A maioria das decisões referentes a essa modalidade é anunciada após 22 semanas. Para mais informações, clique aqui.

No caso de Standard Grants, os assessores ad hoc indicados pela FAPESP serão contatados pelo ESRC como parte do processo regular de avaliação por pares.

Um assessor indicado pela FAPESP também será convidado a participar do comitê de avaliação para discutir as propostas que não foram recusadas na etapa de Avaliação por Pares. Além da proposta, o assessor da FAPESP que participará do comitê receberá cópias dos pareceres dos assessores ad hoc e de eventuais respostas dos proponentes a diligências ou solicitações de informação complementar.

Para propostas de menos de £100.000,00, podem ser apresentadas propostas na modalidade Small Grants. As decisões sobre o financiamento nessa modalidade são, geralmente, tomadas em 14 semanas.

As propostas na modalidade Small Grants não estão sujeitas ao processo completo de avaliação por pares.

As propostas serão avaliadas individualmente por assessores/integrantes do Peer Review College indicados pelo ESRC e pela FAPESP antes de serem apresentadas ao Diretor ou Vice-Diretor do Conselho de Auxílios do ESRC (ESRC Grants Board) para a decisão sobre a recomendação de financiamento.

Ambas as modalidades funcionam segundo o sistema de fluxo contínuo (open dates) do ESRC, portanto, as propostas podem ser submetidas em qualquer data.

As propostas ao ESRC, nos termos deste Acordo, serão submetidas e avaliadas de acordo com o Processo Conjunto de Submissão Internacional (International Common Application Process - ICAP). Recomenda-se enfaticamente aos proponentes que consultem essas orientações antes de submeter suas propostas. Para mais informações, veja aqui.

As propostas ao ESRC devem ser submetidas nos formulários de Auxílios Bilaterais do ESRC (ESRC Bilateral Grants, Open Call, Standard or Small), disponíveis no sistema eletrônico Je-S.

Para informações referentes à implementação deste Acordo pelo ESRC, entre em contato com o Escritório Internacional do ESRC (ESRC International Office):

Samantha McGregor
E-mail: international@esrc.ac.uk ou telefone: +44 (0)1793 413146


Saúde: Medical Research Council (MRC)

www.mrc.ac.uk

O MRC aceitará propostas, nos termos deste Acordo, para as modalidades Partnership Grant, Programme Grant e Research Grant. Para mais informações sobre essas modalidades, clique aqui.

ANTES de submeter uma proposta nos termos deste Acordo, os proponentes devem contatar o Gerente do Programa (MRC Programme Manager) pertinente no Conselho Científico do MRC (MRC Scientific Board) adequado à proposta, a fim de verificar como submeter uma proposta em cada modalidade.

Detalhes sobre o Conselho Científico do MRC e contatos podem ser encontrados aqui.

As propostas deverão ser submetidas por meio do formulário de submissão e avaliação (MRC Electronic Application and Assessment form) disponível no website do MRC.

Para informações gerais referentes à implementação deste Acordo pelo MRC, contate: Jill Jones: jill.jones@headoffice.mrc.ac.uk


Meio Ambiente: Natural Environment Research Council (NERC)
www.nerc.ac.uk

O NERC aceitará propostas, nos termos deste Acordo, para as modalidades Standard Grant e Consortium Grant. Detalhes dessas modalidades podem ser encontrados aqui.

ANTES de submeter uma proposta nos termos deste Acordo, os proponentes devem contatar o Líder da Equipe de Auxílios à Pesquisa do NERC (NERC Research Grants Team Leader), a fim de verificar como submeter propostas em cada modalidade: Mr. Jim Aland, Líder da Equipe de Auxílios à Pesquisa do NERC (NERC Research Grants)

E-mail: jeal@nerc.ac.uk ou telefone: +44 (0)1793 411629

Propostas encaminhadas na modalidade Standard Grant estão sujeitas a uma etapa inicial de avaliação, na qual são selecionadas as propostas encaminhadas para análise externa. A FAPESP (e os assessores ad hoc que a Fundação indicar) só participará na análise das propostas aprovadas nessa etapa inicial de avaliação. Os Comitês Moderadores (Moderating Panels) se reúnem anualmente, em junho e dezembro, para dar nota às propostas e emitir as recomendações de financiamento.
 

Infraestrutura em Ciência e Tecnologia: Science and Technology Facilities Council (STFC)
www.stfc.ac.uk

O STFC aceitará propostas nos termos deste Acordo em qualquer uma das modalidades que oferece. Para mais informações sobre essas modalidades, clique aqui.

ANTES de submeter uma proposta nos termos deste Acordo, os proponentes devem contatar o Gerente do Programa pertinente do STFC, a fim de verificar a adequação estratégica da proposta à estratégica científica do STFC.

Para informações gerais referentes à implementação deste Acordo pelo STFC, entrar em contato com Terry Mawby: terry.mawby@stfc.ac.uk.

Observações:

  1. Estas orientações serão atualizadas periodicamente, conforme necessário.
  2. Certifique-se de que consultou a versão mais recente antes de submeter uma proposta.