RESUMO APRESENTAÇÕES

Prof. Dr. Samuel Beskow

Modelagem e simulação hidrológica em bacias hidrográficas – aplicações e desafios

Com as demandas crescentes de recursos hídricos no Brasil e no mundo para diferentes fins, tais como abastecimento urbano, rural e industrial, irrigação, navegação e geração de energia elétrica, tem sido cada vez mais notória a incansável busca pela gestão adequada de recursos hídricos em uma bacia hidrográfica, pautada em critérios técnicos e científicos apurados para a região de interesse, visando propiciar o desenvolvimento sustentável deste sistema natural. Para possibilitar a gestão de recursos hídricos em uma bacia hidrográfica é imprescindível o conhecimento do comportamento hidrológico a fim de tomar decisões acertadas do ponto de vista social, econômico e ambiental. Podem ser consideradas como substanciais as dificuldades inerentes à compreensão dos processos hidrológicos na escala de bacias hidrográficas, haja vista que estes são aleatórios e bastante variáveis no espaço e no tempo. O entendimento do comportamento hidrológico de uma bacia hidrográfica deve ser feito preferencialmente por meio de monitoramento, o qual fornece subsídios técnicos para compreender diferentes processos do ciclo hidrológico. O monitoramento hidrológico no Brasil é feito por uma rede hidrométrica básica cuja responsabilidade é da Agência Nacional de Águas (ANA), entretanto, comumente bacias hidrográficas de médio e grande porte são as contempladas. Em síntese, é bastante comum não existir monitoramento no local onde se pretende realizar um dado tipo de aproveitamento hídrico e/ou intervenção antrópica, sendo esta situação observada não somente em países em desenvolvimento. Este problema pode ser agravado, sobretudo no Brasil, em função de ser um país continental e contar com especificidades de comportamento hidrológico em diferentes biomas. É exatamente neste ponto que a simulação hidrológica pode ser empregada como ferramenta de subsídio técnico para gestão em bacias hidrográficas. Neste contexto, pesquisas básicas e aplicadas na área de hidrologia são indispensáveis para permitir o monitoramento hidrológico de bacias, a análise e compreensão dos processos hidrológicos, seguidos da modelagem hidrológica, no intuito de fornecer tecnologias apropriadas para o local de interesse. Nesta palestra serão abordadas questões referentes à modelagem e simulação hidrológica em bacias hidrográficas dentro do cenário de recursos hídricos, contemplando aspectos de aplicações, pesquisas e desafios nesta área.

Prof. Dr. Klaus Reichardt

Física de Solos e Recursos Hídricos na Agricultura

Recursos hídricos são de fundamental importância na agricultura, uma vez que o volume de água que passa pela planta é mais de 95 vezes o peso de água que ela retém, total esse necessário para obtermos a produção agrícola final. A Física de Solos exerce papel fundamental na análise dos recursos hídricos de uma região ou um campo agrícola, sendo ela ferramenta básica para estudos da dinâmica da água em ecossistemas. É feita uma análise de comparação da Física de Solos da década de 1960 com a dos dias de hoje. São dados exemplos de balanços hídricos e de escalonamento de variáveis utilizadas em modelagem no sistema solo-planta-atmosfera. É discutido também um modelo para o desenvolvimento científico, mostrando as dificuldades inerentes a uma carreira científica. Por fim é apresentada uma “árvore genealógica científica” relacionada à contribuição do autor na formação de recursos humanos na área de recursos hídricos.