Rede de Biologia Estrutural em Tópicos Avançados de Ciências da Vida - SMOLBnet 2.0

Para Auxílio Regular à Pesquisa, Projeto Temático, Programa Jovem Pesquisador em Centros Emergentes e Bolsas de Doutorado Direto e de Pós-Doutorado


1. Fundamentos

Após 50 anos da resolução da estrutura da molécula de DNA, da mioglobina e da hemoglobina, a Biologia Estrutural tornou-se um dos pilares da Biologia Moderna. A resolução de estruturas de macromoléculas contribui para o alcance da compreensão de fenômenos e processos biológicos. A partir desta compreensão é possível vislumbrar a possibilidade de manipulação racional da atividade biológica em nível molecular. Os impactos dos estudos nesta área poderão ser apreciados pela sociedade nas áreas social, ambiental e industrial, como pode ser observado pela introdução na indústria farmacêutica de práticas de rotina de Biologia Estrutural para a identificação e desenvolvimento de drogas e novos alvos.

Ainda que avanços tenham sido claramente disseminados, o uso de técnicas para resolução de estruturas em alta definição não é prática rotineira na pesquisa em Ciências da Vida no Brasil. O número de cristalógrafos na comunidade científica brasileira é relativamente pequeno e é menor ainda o número de pesquisadores que utilizam a ressonância magnética (RMN) para a resolução de estruturas de proteínas em solução.

A pesquisa nas áreas biológica, médica e agronômica assumiu características multidisciplinares e a integração entre pesquisadores atuantes em biologia molecular, bioquímica e biologia estrutural certamente resultaria no desenvolvimento e compreensão de relações de estrutura e função fundamentais a um processo biológico. Fomentar a interação é importante para garantir a competividade e descoberta na área biotecnológica e da ciência.
 

2. Temas relevantes para esta Chamada de Propostas de Pesquisa

A Rede de Biologia Estrutural em Tópicos Avançados de Ciências da Vida pretende promover o estabelecimento de parcerias entre grupos de pesquisa que tenham a expertise em resolução de estrutura de macromoléculas por cristalografia com Raio X ou RMN (Grupo de Biologia Estrutural) e grupos de pesquisa de área molecular que desenvolvem projetos competitivos de alto impacto em sistemas biológicos complexos (Grupo de Biologia Molecular).

objetivo principal desta chamada é promover parcerias que avancem a compreensão de sistemas biológicos complexos no nível estrutural.


3. Chamada de Propostas de Pesquisa

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP torna pública a presente Chamada de Propostas de Pesquisa e convida os pesquisadores interessados, vinculados a instituições de ensino superior e de pesquisa no Estado de São Paulo, a apresentar propostas de projetos de pesquisa no âmbito do Programa SMOLBnet 2.0/FAPESP na forma e condições a seguir estabelecidas.


4. Objetivos

O objetivo desta Chamada de Propostas da Rede de Biologia Estrutural em Tópicos Avançados de Ciências da Vida é identificar e selecionar projetos de pesquisa fundamental e aplicada, elaboradas em parceria, que promovam o avanço da compreensão de sistemas biológicos complexos no nível estrutural.

Para isso, os projetos que serão selecionados deverão:

a) Promover a associação de grupos de Biologia Estrutural e Biologia Molecular e Celular para responder perguntas relevantes em Biologia;
b) Disseminar o uso de abordagens em Biologia Estrutural (cristalografia por Raios X, ressonância magnética nuclear, difração de raios-X em baixo ângulo e criomicroscopia eletrônica de partículas isoladas) no estado de São Paulo; e
c) Contribuir para a formação e/ou o treinamento de jovens pesquisadores.


5. Condições de participação e características das propostas de pesquisa

5.1 Condições de participação


As condições de participação na Chamada de Propostas de Pesquisa serão aplicadas rigorosamente. Por favor, leia-as cuidadosamente. Propostas que violem alguma das condições serão desclassificadas, não passando para a fase de julgamento de mérito.

a) As propostas de projetos de pesquisa devem ser apresentadas como propostas novas nas linhas de fomento de Auxílio à Pesquisa - Regular, Projeto Temático ou Programa Jovem Pesquisador em Centros Emergentes da FAPESP.

b) As solicitações de bolsas nas modalidades Pós-doutorado ou Doutorado Direto podem ser objeto de propostas novas independentes (bolsa regular no país) ou ser apresentadas como itens orçamentários de um novo auxílio (para propostas na modalidade Projeto Temático). Bolsas em andamento nestas modalidades poderão se vincular ao Programa SMOLBnet 2.0 mediante solicitação do pesquisador responsável.

As normas destas modalidades se encontram nos links abaixo:

a.1. Auxílio Regular: www.fapesp.br/apr
a.2. Projeto Temático: www.fapesp.br/tematico
a.3. Jovens Pesquisadores: www.fapesp.br/jp
a.4. Bolsas PD e DD: www.fapesp.br/bolsas/pd e www.fapesp.br/bolsas/dd

c) Aplicam-se, em cada caso, todas as condições e restrições destas linhas de fomento, excluindo-se apenas aquelas restrições e condições explicitamente excepcionadas nesta Chamada de Propostas de Pesquisa.

c.1. A proposta deve ter a participação de pelo menos um pós-doutor e/ou um aluno de doutorado direto. As solicitações de bolsa podem ser objeto de propostas como descrito no item 5.1.b acima.

c.2. O projeto (ou Plano de Trabalho, no caso de solicitação de bolsa como item orçamentário) para o bolsista PD ou DD deve conter como objetivo principal a resolução de estruturas biológicas.

c.3. O projeto, ou Plano de Trabalho da bolsa PD ou DD deve prever a atuação do bolsista como elo entre os dois grupos (Grupo de Biologia Molecular e Grupo de Biologia Estrutural).

d) A proposta deverá ser submetida por pesquisador responsável juntamente com um pesquisador associado da área complementar (em solicitações de Projeto Temático, devem ser propostos como pesquisador responsável e pesquisador principal, respectivamente). Cada proposta deverá ser encaminhada por dois grupos de pesquisa (Grupo de Biologia Molecular e Grupo de Biologia Estrutural), conforme descrito nos itens 6.1 e 6.2.

d.1. Cada proposta deverá ser encaminhada com o “de acordo” quanto à participação dos dois grupos de pesquisa (Grupo de Biologia Molecular e Grupo de Biologia Estrutural) conforme descrito nos itens 6.1 e 6.2. 

e) A proposta deverá buscar responder perguntas de caráter inovador e de impacto científico para as quais a resolução de estruturas biológicas em alta definição seja necessária.

f) O grupo de Biologia Molecular deverá ter experiência comprovada em bioquímica, biofísica, enzimologia e/ou biologia celular e molecular na área biológica em que o projeto se insere.

g) O grupo de Biologia Estrutural deverá se comprometer a treinar os pesquisadores (PD e/ou DD) diretamente associados ao projeto nos métodos de Biologia Estrutural quando necessário.


6. Compromissos dos pesquisadores participantes de projetos selecionados nesta chamada

Os pesquisadores responsáveis pelos dois grupos de cada projeto selecionado assumirão os seguintes compromissos com a Rede de Pesquisa do Programa, além dos compromissos exigidos nas modalidades de financiamento contempladas nesta chamada:

a. Participação do pesquisador e de todos os demais participantes do projeto em “workshops”, seminários e reuniões científicas promovidas pelo Programa. A participação nos “workshops” será uma oportunidade especial para tomar conhecimento de pesquisa em andamento na área e ter acesso a dados e informações antes que tenham sido publicados.

b. Fornecimento regular de informação sobre os resultados dos projetos de pesquisa para fins de divulgação e comunicação.

c. Adicionalmente, é relevante estabelecer estratégias para que equipamentos custosos destinados à revelação de estruturas sejam compartilhados da forma mais intensa possível, maximizando sua contribuição ao avanço do conhecimento na área.

d. Para bolsa regular de Pós-Doutorado ou de Doutorado Direto, a proposta deve ser desenvolvida em um Grupo de Biologia Molecular com estreita colaboração com um Grupo de Biologia Estrutural, ou vice-versa. Deve ser apresentado documento do Grupo colaborador demonstrando interesse e participação no projeto proposto.

 6.1 Grupo de Biologia Molecular

É de responsabilidade do Grupo de Biologia Molecular:

a) Colaborar com o grupo de Biologia Estrutural na elaboração de propostas de pesquisa.

b) Promover o treinamento nos métodos de Biologia Molecular, em particular na tecnologia do DNA recombinante, purificação proteica em quantidade e pureza necessárias para os estudos de estrutura.

c)  Disseminar o conhecimento e experiência nos estudos moleculares do sistema biológico em foco. Experiência anterior na tecnologia do DNA recombinante e expressão em sistemas heterólogos assim como purificação de proteínas são altamente desejáveis.

d) O Grupo de Biologia Molecular é responsável pelas atividades dos pesquisadores de pós-doutoramento e alunos de pós-graduação e graduação envolvidos diretamente no projeto. Estes podem contar com o apoio e treinamento do Laboratório de Biologia Estrutural.

e) Desenvolver em paralelo os estudos necessários (não estruturais) que contribuam para a investigação dos aspectos funcionais do sistema em foco.

6.2 Grupo de Biologia Estrutural

É de responsabilidade do Grupo de Biologia Estrutural:

a) Colaborar com o Grupo de Biologia Molecular na elaboração do projeto de pesquisa.

b) Promover o treinamento e supervisão dos membros associados ao projeto específico na cristalização de proteínas, coleta, processamento e análise dos dados de difração de Raio X e RMN, e determinação da estrutura..

c)  Fornecer ou solicitar acesso a infraestrutura necessária para a realização de pesquisas na área estrutural do projeto de pesquisa.

d) Em conjunto com o Grupo de Biologia Molecular, interpretar a coleta dos dados e delinear novos experimentos na área estrutural, bioquímica ou genética de modo a ampliar o conhecimento entre a estrutura e função do sistema biológico em foco.

6.3 Responsabilidades mútuas dos grupos de Biologia Estrutural e Biologia Molecular.

a) Tomar as providências necessárias para que o projeto tenha acesso a outras facilidades de coleta de dados estruturais que por ventura não existam no grupo de biologia estrutural integrante da proposta.

b) Apresentar relatórios anuais que descrevam os resultados de progresso obtidos demonstrando o alcance dos objetivos inicialmente propostos.

c)  Publicar os resultados em revistas científicas internacionais com análise seletiva e de ampla circulação.

d) Associar jovens pesquisadores em nível de Pós-doutoramento e Doutorado (eventualmente, alunos de Iniciação Científica e Técnicos) para serem financiados diretamente pelo projeto descrito acima. Esses pesquisadores deverão ter interesse expresso no aprendizado de metodologia afeita à área de Biologia Estrutural.


7. Recursos destinados a esta chamada

a) Espera-se aprovar 10 propostas cujo valor médio seja R$ 300.000,00.

b) A FAPESP se reserva o direito de propor orçamentos menores do que os solicitados para as propostas selecionadas.


8. Itens financiáveis

Os itens de orçamento que podem ser solicitados são:

a) Custeio: aqueles tradicionalmente apoiados pela FAPESP na linha de fomento escolhida pelo proponente entre aquelas associadas a esta Chamada e descritos no portal da FAPESP (www.fapesp.br).

b) Bolsas:

i. Podem ser solicitadas bolsas de Capacitação Técnica (TT) como item orçamentário vinculado as solicitações de Auxílio à Pesquisa – Regular conforme as normas vigentes para esta linha de fomento descrita em www.fapesp.br/bolsas/bolsasconcedidasemauxilios.

ii. Podem ser solicitadas bolsas de Capacitação Técnica (TT), Iniciação Científica (IC), Doutorado Direto (DD) e Pós-Doutorado (PD) como itens orçamentários vinculados as solicitações de Projetos Temáticos conforme as normas vigentes para esta linha de fomento descrita em www.fapesp.br/bolsas/bolsasconcedidasemauxilios.

iii. Podem ser solicitadas bolsas de Capacitação Técnica (TT), Iniciação Científica (IC) e Doutorado Direto (DD) como itens orçamentários vinculados as solicitações de projetos do Programa Jovem Pesquisador conforme as normas vigentes para esta linha de fomento descrita em www.fapesp.br/bolsas/bolsasconcedidasemauxilios.

iv. Para o acompanhamento e análise das bolsas solicitadas, valerão as normas e procedimentos da FAPESP para cada modalidade de bolsa solicitada como parte do orçamento dos projetos de pesquisa.

v. Em todos os casos acima, a duração das bolsas não poderá ser maior do que a duração dos projetos e os orientadores/supervisores deverão ser os Pesquisadores Responsáveis pelos Auxílios ou Pesquisadores Principais dos projetos Temáticos aos quais se vinculam as bolsas.

c)  Serviços de Terceiros especializados no Brasil

d) Itens de material permanente devem ser solicitados de acordo com as normas da modalidade de financiamento escolhida. Somente em casos excepcionais, mediante justificativa circunstanciada, serão analisadas solicitações de equipamentos com valor acima de US$ 40 mil.

 
9. Duração do Projeto proposto

A duração deve ser compatível com a modalidade de Auxílio à Pesquisa ou bolsa escolhida.


10. Formatação das propostas

a) As propostas devem ser apresentadas conforme as normas da modalidade escolhida:

a.1. Para preparo de projetos de Auxílio à Pesquisa Regular, seguir o roteiro publicado em www.fapesp.br/materia/4784.

a.2.  Para preparo de Projetos Temáticos, seguir o roteiro publicado em www.fapesp.br/materia/4611;

a.3. Para preparo de Projetos Jovens Pesquisadores, seguir o roteiro publicado em www.fapesp.br/materia/4517.

b) Adicionalmente é obrigatória a apresentação de um resumo executivo, composto pelos itens listados abaixo. Propostas submetidas sem resumo executivo não serão enquadradas. As propostas de bolsas de Doutorado Direto ou Pós-Doutorado devem encaminhar informações dos itens que se aplicarem a estas modalidades.

b.1. Resumo Executivo do Projeto de Pesquisa em português (em até 2 páginas) contendo:

b.1.i. Título de projeto;
b.1.ii. Objetivos;
b.1.iii. Valor solicitado à FAPESP;
b.1.iv. Área temática do projeto;
b.1.v. Resultados e produtos esperados em 2 anos (para Auxílio à Pesquisa-Regular), 4 anos (para projetos JP) e 5 anos (para projetos temáticos);
b.1.vi.  Auxílios vigentes (da FAPESP e de outras agências) que financiam o projeto;
b.1.vii. Solicitações de bolsas regulares de Pós-doutorado e Doutorado Direto devem indicar o supervisor e co-supervisor, ou orientador e co-orientador, respectivamente, que devem representar os Grupos de Biologia Molecular e de Biologia Estrutura

c)  As propostas devem ser apresentadas EXCLUSIVAMENTE em papel.

d) O título da proposta deve obrigatoriamente começar com “SMOLBnet 2.0”. Exemplo “SMOLBnet 2.0: caracterização estrutural da proteína XXXX do organismo XVVNNMM.”

11. Análise e seleção das propostas

Todas as propostas consideradas aderentes aos termos desta Chamada de Propostas de Pesquisa serão analisadas em 3 etapas:

11.1 Enquadramento no Programa SMOLBnet 2.0/FAPESP

a) O enquadramento da proposta no Programa será analisado pela Coordenação Adjunta para Ciências da Vida da Diretoria Científica, a qual emitirá um parecer conclusivo sobre o enquadramento que orientará a decisão da FAPESP.

b) A Coordenação Adjunta para Ciências da Vida da Diretoria Científica analisará o enquadramento das propostas considerando:

i. A inserção da proposta nas áreas de pesquisa objeto desta Chamada;

ii. A potencial contribuição da proposta aos projetos de pesquisa em andamento no Programa SMOLBnet2.0/FAPESP;

iii. A perspectiva de integração com os projetos de pesquisa em andamento do Programa SMOLBnet 2.0/FAPESP; e

iV. Como o Programa pode contribuir academicamente para o projeto proposto.

11.2 Análise das propostas enquadradas no Programa SMOLBnet 2.0/FAPESP

As propostas submetidas no âmbito desta Chamada de Propostas serão analisadas usando-se pareceres de assessoria ad hoc, das Coordenações de Área e Adjuntas da FAPESP de acordo com os critérios usualmente aplicados pela FAPESP para a seleção de propostas na modalidade correspondente de financiamento.

Não participarão do processo de análise e seleção de propostas pesquisadores participantes em alguma proposta submetida.

Todas as propostas serão analisadas usando-se os seguintes critérios, além dos critérios específicos para a modalidade de financiamento FAPESP em que for submetida:

a) Aderência aos termos especificados nesta Chamada;

b) Originalidade e ousadia da proposta de pesquisa acadêmica, em relação às linhas de pesquisa propostas; objetivos de pesquisa bem definidos e que, se atingidos, tem o potencial de ter impacto significativo no campo de pesquisa;

c)  Qualidade do projeto de pesquisa, na especificação clara dos objetivos, dos desafios a vencer e dos meios e métodos científicos, técnicos e materiais para isso, em relação ao estado da arte no campo;

d) Adequação da infraestrutura oferecida pela instituição sede;

e) Qualificação do pesquisador proponente e sua equipe, demonstrada por histórico anterior de resultados de pesquisa em áreas relevantes a esta Chamada, finalização bem sucedida de projetos anteriores, prêmios e reconhecimentos por atividade docente, e publicações, demonstradas nas Súmulas Curriculares dos pesquisadores principais;

f)  Viabilidade da execução do projeto, incluindo a adequação dos recursos disponíveis, apoio institucional, razoabilidade dos cronogramas, quantidade e qualificação dos participantes, valor, o que inclui o uso eficiente dos recursos solicitados;

g) Potencial para ampla disseminação e uso da propriedade intelectual criada, incluindo-se os planos para publicações científicas, apresentações em conferências, bem como planos para distribuição dos conteúdos em múltiplos formatos e linguagens;

h) Formação de novos pesquisadores e profissionais, propiciada pela execução do projeto.

i)   No contexto do presente edital os pedidos de equipamentos com valor acima de US$ 40 mil serão analisados apenas em casos excepcionais. Em caso de concessão, espera-se que tais equipamentos, na medida do possível e do necessário, sejam disponibilizados para os demais membros da rede.

11.3 Análise pela Diretoria Científica da FAPESP

A decisão final será tomada pela Diretoria Científica da FAPESP e pelo Conselho Técnico Administrativo (CTA) da FAPESP.


12. Propriedade Intelectual dos Resultados

Serão aplicadas as normas da FAPESP sobre todos os eventos de registro ou realização de ganhos por propriedade intelectual criada nos projetos selecionados.


13. Cronograma

As propostas deverão ser submetidas dentro de seguinte cronograma:

Evento

Datas

Publicação da chamada no portal da FAPESP

18/05/2010

Última data para recebimento de propostas

Prorrogado para 13/09/2010

Publicação dos resultados do processo de análise e seleção

09/12/2010



14. Resultados da seleção

Os resultados finais serão divulgados no portal da FAPESP em www.fapesp.br e por meioo de comunicado aos interessados.


15. Concessão, Acompanhamento e Avaliação dos Projetos

Caso a solicitação seja aprovada, será lavrado Termo de Outorga, o qual deverá ser assinado pelo pesquisador principal e pelo responsável pela instituição. Os resultados obtidos deverão ser demonstrados em relatórios científicos, e prestações de contas deverão ser encaminhas de acordo com o estabelecido no Termo de Outorga.


16. Cancelamento da Concessão

A concessão do apoio financeiro poderá ser cancelada pela FAPESP, por ocorrência, durante sua execução, de fato cuja gravidade justifique o cancelamento, a critério da Diretoria Científica da FAPESP, sem prejuízo de outras providências cabíveis.


17. Comunicações relativas a esta Chamada

17.1 Submissão das propostas

As propostas devem ser encaminhadas pelo correio à FAPESP no endereço:

FAPESP 
Rua Pio XI, 1500
CEP 05468-901
São Paulo, SP

17.2 Esclarecimentos

Questões relativas a esta Chamada de Propostas de Pesquisa devem ser encaminhadas para o e-mail: Smolbnet2.0@fapesp.br. Para atendimento mais eficaz, por favor, inclua “Chamada Smolbnet2.0/FAPESP” no campo “Assunto” do e-mail.

A pessoa de contato para esclarecimentos sobre esta Chamada de Propostas de Pesquisa na FAPESP é: Patrícia Brant Monteiro, Diretora de Área para Ciências Biológicas e Agrárias. 
 

  • Formulários para apresentação de propostas: