English version

Carlos Alfredo Joly

Carlos Alfredo Joly

Marcia Minillo

Coordenação do BIOTA-FAPESP 

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (1976), mestrado em Biologia Vegetal pela Universidade Estadual de Campinas – Unicamp (1979), PhD em ecofisiologia vegetal pela Universidade de Saint Andrews, Escócia (1982) e pós-doutorado pela Universidade de Berna, Suíça (1994).

É professor titular em Ecologia do Instituto de Biologia da UNICAMP, membro titular da Academia Brasileira de Ciências, coordenador da Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos e membro do Painel Multidisciplinar de Especialistas/MEP da Intergovernamental Platform on Biodiversity and Ecosystem Services/IPBES e do Comitê Científico do Inter-American Institute for Global Change Research/IAI.

Atua nas áreas de ecofisiologia vegetal e conservação da biodiversidade, tendo formado 50 mestres e/ou doutores e publicado cerca de 100 trabalhos em periódicos científicos.

Editou 12 livros, com destaque para a série Biodiversidade do Estado de São Paulo: Síntese do conhecimento ao fim do século XX , para o Inventário Florestal da Vegetação Nativa do Estado de São Paulo e para diretrizes para o livro A Conservação e Restauração da Biodiversidade no Estado de São Paulo . Este foi adotado pelas Secretarias do Meio Ambiente, da Agricultura e da Justiça de São Paulo para o aprimoramento da legislação de conservação e restauração da biodiversidade do estado.

Principal mentor do Programa BIOTA-FAPESP (www.biota.org.br), coordenou o planejamento, a montagem e a implantação do programa de 1996 a 2004, tendo reassumido sua coordenação em 2009. No âmbito do Programa é também o editor chefe da revista eletrônica Biota Neotropica (www.biotaneotropica.org.br).

Ganhou o Prêmio Henry Ford em 1999 (Iniciativa do Ano na Área de Conservação). Em agosto de 2002, foi agraciado com a Ordem do Mérito Científico, classe comendador. Em 2005, ganhou o Prêmio Ambiental von Martius da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha, em 2007, recebeu a Menção Honrosa do Prêmio Jovem Cientista do CNPq e, em 2012, o Premio Muriqui da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.