FAPESP divulga lista tríplice para diretor científico

FAPESP divulga lista tríplice para diretor científico

Luiz Eugênio de Moraes Mello, Carlos Gilberto Carlotti Junior e Osvaldo Novais de Oliveira Junior integram a lista encaminhada ao governador

A FAPESP anuncia o resultado da eleição para escolha do novo diretor científico da Fundação, que assumirá o cargo a partir de abril de 2020.

Luiz Eugênio Araújo de Moraes Mello, Carlos Gilberto Carlotti e Osvaldo Novais de Oliveira Junior são os três indicados pelo Conselho Superior da Fundação em lista tríplice enviada ao governador do Estado de São Paulo, João Doria.

No primeiro escrutínio, Luiz Mello teve 11 votos e Carlotti, 9 votos. No segundo escrutínio, Oliveira Junior teve 7 votos e completou a lista.

O novo diretor científico substituirá Carlos Henrique de Brito Cruz, que está no cargo desde 2005.

A eleição teve 13 candidatos. Também receberam votos: Vanderlei Salvador Bagnato, Carlos Frederico de Oliveira Graeff, Edgar Dutra Zanotto, José Eduardo Krieger e Roberto Marcondes.

Os candidatos foram entrevistados por um comitê de busca composto por Marilza Vieira Cunha Rudge, Ronaldo Aloise Pilli e Liedi Bariani Bernucci, membros do Conselho Superior da FAPESP.

Lista tríplice

Luiz Eugênio Araújo de Moraes Mello é médico e doutor em Biologia Molecular pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Fez pós-doutorado em Neurofisiologia na University of California, Los Angeles. Livre-docente (1994) e professor titular de Fisiologia (1998), foi coordenador adjunto da diretoria científica da FAPESP de 2003 a 2006. Pesquisador nível 1A do CNPq é membro titular da Academia de Ciências do Estado de São Paulo e da Academia Brasileira de Ciências. É conselheiro da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale), conselheiro da Tibet House Brasil, editor setorial do Brazilian Journal of Medical and Biological Research e vice-presidente da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei). Foi pró-reitor de Graduação da Unifesp de 2005 a 2008 e presidente da Federação das Sociedades de Biologia Experimental. Foi diretor de Tecnologia e Inovação da Vale (Vale S.A.) e responsável pela implantação do Instituto Tecnológico Vale. Atualmente, é membro do Conselho Deliberativo do CNPq, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino e diretor da Agência de Inovação Tecnológica e Social da Unifesp.

Carlos Gilberto Carlotti Junior é médico formado pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. É doutor pela USP e realizou pós-doutorado no Brain Tumour Research Centre, The Hospital for Sick Children em Toronto, Canadá. É professor titular da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP) na Divisão de Neurocirurgia do Departamento de Cirurgia. Além de atividades clínicas é responsável pelo Laboratório de Biologia Molecular. Os termos mais frequentes na contextualização da sua produção cientifica e tecnológica são: tratamento cirúrgico dos tumores do SNC, biologia molecular dos tumores do SNC e tratamento cirúrgico da epilepsia. Foi diretor da Faculdade de Medicina de Ribeirão e diretor clínico do Hospital das Clinicas daquela Faculdade. Atualmente é pró-reitor de Pós-Graduação da USP.

Osvaldo Novais de Oliveira Junior é doutor em Engenharia Eletrônica pela University of Wales, Reino Unido, doutor Honoris Causa da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul e professor titular do Instituto de Física de São Carlos (USP). Membro da Academia de Ciências do Estado de São Paulo e da Academia de Ciências da América Latina, é o atual presidente da Sociedade Brasileira de Pesquisa em Materiais (SPBMat). Foi coordenador da área de Física na FAPESP por 9 anos. É membro fundador do Núcleo Interinstitucional de Linguística Computacional (NILC). Suas principais áreas de atuação são Nanotecnologia e Processamento de Línguas Naturais. Pertence ao comitê editorial de quatro revistas e atualmente é editor associado e executivo da revista ACS Applied Materials & Interfaces.

Versão para impressão | URL: fapesp.br/13761