English version

Oportunidade de apoio a pesquisas colaborativas em prevenção ao câncer

Oportunidade de apoio a pesquisas colaborativas em prevenção ao câncer

FAPESP oferece a pesquisadores de São Paulo a oportunidade de participar em chamada de propostas da Global Alliance for Chronic Diseases (imagem: NIH)

A FAPESP anuncia a participação em uma chamada de propostas da Global Alliance for Chronic Diseases (GACD). Serão selecionados e apoiados projetos de pesquisas em Prevenção Primária e Secundária para Câncer.

As propostas devem propor intervenções (baseadas em evidências) para prevenção primária e secundária de câncer dirigidas a populações em condições de vulnerabilidade – principalmente em países de baixa e média renda – e com especial sensibilidade à questão de gênero. 

O objetivo norteador da proposta deverá ser o de ampliar a implementação dessas intervenções de forma acessível e equitativa, a fim de melhorar a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer em situações da vida real.

A oportunidade está aberta a pesquisadores vinculados a instituições de ensino superior ou de pesquisa no Estado de São Paulo. As submissões deverão seguir as normas e orientações do Programa de Pesquisa em Políticas Públicas da FAPESP.

Pesquisadores interessados em participar da chamada devem consultar a FAPESP a respeito de sua elegibilidade antes de iniciar a elaboração do projeto. Apenas pesquisadores considerados elegíveis poderão submeter propostas. As consultas serão recebidas até 1º de abril de 2020.

As diretrizes para participação de pesquisadores do Estado de São Paulo encontram se em http://www.fapesp.br/13670. O anúncio internacional da oportunidade está disponível em www.gacd.org/funding/calls-for-proposals/gacd-cancer-call.

GACD

É a terceira vez que a FAPESP participa de uma chamada da GACD. Com sede em Londres, a associação reúne agências financiadoras de pesquisas em doenças crônicas não transmissíveis em diversos países. A aliança coordena e apoia atividades de pesquisa que enfoquem a prevenção e o tratamento de doenças crônicas não transmissíveis em escala global – que respondem por cerca de 60% das mortes em todo o mundo, segundo a organização – especialmente em países de baixa ou média renda e com populações mais vulneráveis.

Entre os membros da aliança estão a FAPESP, o National Health and Medical Research Council da Australia, os Institutes of Health Research do Canadá, a Academia de Ciências Médicas da China, o Medical Research Council do Reino Unido, a Agência para Pesquisa Médica do Japão, a Direção Geral de Pesquisa e Inovação da Comissão Europeia e os National Institutes of Health (NIH) dos Estados Unidos.

 

Versão para impressão | URL: fapesp.br/13696